Quem Somos

Instituto Atlântico

No início dos anos 1990, as manchetes sobre o Brasil eram desanimadoras. Os problemas econômicos preocupavam a população e travavam o desenvolvimento da indústria. Grande inimiga do crescimento, a inflação seguia corroendo salários. Foi neste cenário que um grupo de brasileiros entusiasmados pelo país, sem vínculo partidário ou ideológico, se reuniu com o objetivo de estudar e criar soluções para os problemas complexos e persistentes do país.

Estes brasileiros, que antes se reuniam na Câmara de Estudos e Debates Econômicos e Sociais (CEDES), fundaram o Instituto Atlântico e lançaram naquele momento de instabilidade o PEC, “Programa de Estabilização com Crescimento”, que influenciou os planos econômicos e medidas de inclusão social que foram bem-sucedidos posteriormente.

Ao longo dos anos, o Instituto Atlântico elaborou soluções em políticas públicas e programas de governos, entregues aos presidentes e parlamentares eleitos desde então, sendo este o nosso principal eixo de atuação. Neste momento, nossos esforços estão concentrados em colaborar com os poderes Executivo e Legislativo, nas propostas de  Simplificação Tributária e na gestão mais eficiente dos gastos públicos. A proposta do Instituto Atlântico para a Simplificação Tributária está abrigada no Movimento Brasil Eficiente que conta com cerca de 300 mil apoiadores.

Por que Atlântico?

Ao tempo do descobrimento, caravelas se arrastavam por meses sobre as infinitas ondas do Atlântico, no percurso entre Lisboa e a costa brasileira. A viagem era penosa e cheia de perigos, mas seus membros seguiam com bravura e determinação pois havia a crença de que um mundo novo era possível do lado de lá do oceano. Inspirados na dimensão do Oceano Atlântico e tomados pela crença de descobrir um novo mundo no próprio Brasil,  seguimos esta jornada entusiasmados e obstinados pela construção de um país em que todos possam acessar e exercer a cidadania: UM BRASIL CIDADÃO PARA TODOS!

Fundadores

Entre os Fundadores destacam-se:
Aspásia Brasileiro Alcântara de Camargo
Diogo Figueiredo Moreira Neto
Paulo Carlos de Brito
Paulo Rabello de Castro
Roberto Luiz Gomes de Carvalho
Thomaz Pompeu Pires Magalhães