Projeto Cantagalo

O Projeto Cantagalo surgiu da iniciativa das lideranças do Projeto Segurança de Ipanema, que se questionaram sobre o que estavam deixando de fazer para integrar a favela do Cantagalo ao bairro de Ipanema. Nesta hora, inverteu-se o sentido da pergunta que, por muitas vezes, é “O que a favela está fazendo ali?” ou “Como remover a favela?”

A partir daí, com o objetivo de propor uma solução sólida e sustentável para a integração entre a favela do Cantagalo e o bairro de Ipanema, o Instituto Atlântico criou o conceito Rio Cidade Inteira, do qual decorreu o Projeto Cantagalo. A solução apresentada para este desafio foi: Conceder a Titulação Definitiva da Propriedade aos moradores. 

Dentro deste projeto, foi desenvolvido pelo Instituto Atlântico o conceito de uma Tecnologia Social: um conjunto de técnicas de intervenção comunitária cujo ponto de apoio central é o Princípio da Auto-Organização. Este princípio norteia as ações do Projeto Cantagalo visando garantir o seu sucesso, na medida em que provocou o surgimento das ações de dentro da favela e de dentro do bairro de Ipanema, rompendo com a estrutura usual de projetos que caem sobre as comunidades de cima para baixo. 

O diferencial do Projeto Cantagalo para outros tantos projetos que envolvem as favelas é que, com a força do Projeto, a favela se prepara e torna-se bairro, sendo incorporada à cidade formal. Dentro do princípio da Auto-Organização, a nova sede da Associação dos Moradores será o espaço comunitário para acompanhamento do desenvolvimento urbano da região.

Objetivo

Conceder o título de propriedade definitiva aos moradores da Favela do Cantagalo.

Resultados  esperados

A escritura definitiva do imóvel gera naturalmente para os moradores e para o bairro:

  • Segurança da posse permanente que garante direito à moradia adequada.
  • Empoderamento social dos membros do Cantagalo.
  • Redução na taxa de criminalidade local com a redução das tensões sociais.
  • Impedimento de novas ocupações na região pelo interesse dos próprios moradores, agora proprietários.
  • Integração socioespacial dentro da estrutura urbana da sociedade formal.
  • Urbanização da região e expansão dos serviços públicos e privados.
  • Valorização do preço dos imóveis dentro do Cantagalo e dos bairros ao redor.
  • Melhoria da qualidade dos investimentos nos imóveis pelos moradores, a partir da segurança adquirida com o título de propriedade.
  • Acesso aos mercados de crédito que antes estavam indisponíveis às famílias e empreendedores, na medida em que agora existe um patrimônio legalizado. 
  • Aumento da arrecadação fiscal oriunda do bairro do Cantagalo e dos bairros ao redor.

Projeto Cantagalo já rende frutos

  • 44 moradores da Comunidade do Cantagalo, residentes em área pública, receberam a escritura de doação, entregue pelas autoridades estaduais.
  • A experiência do projeto está publicada no livro “Galo Cantou”, premiado no 54º Prêmio Jabuti de Literatura, na categoria Arquitetura e Urbanismo.
  • Grande repercussão na mídia que, agregada ao trabalho do Instituto em difundir as ações do projeto, tem despertado o interesse de diversos municípios do país e do exterior. Está sendo estudada pelo instituto, a implantação deste projeto em outras prefeituras que já entraram em contato com a instituição.

Depoimentos 

            "...esse projeto não nasceu de cima para baixo, ao contrário, ele brotou da sociedade."

                       (Ignez Barreto, diretora de Segurança do Projeto Segurança de Ipanema, em entrevista ao Jornal O Globo sobre a entrega de títulos de propriedade no Morro do Cantagalo")

... "O Estado só foi adiante nesse projeto porque o Instituto Atlântico estava à frente, eles entenderam que tinham que apressar o processo."

                      (Luiz Bezerra do Nascimento, presidente da Associação de Moradores do Cantaglao, em entrevista ao Jornal O Globo sobre a entrega de títulos de propriedade no Morro do Cantagalo")