Rio Cidade Estado


O projeto surgiu em 2004 após o seminário “Cariocas pelo Rio” promovido pela Rede Autonomia Carioca com apoio do Instituto Atlântico, e contou com a participação de diversos movimentos, entre eles: Guanabara Já e Instituto Hélio Beltrão. O seminário, que debateu a possível volta da cidade do Rio de Janeiro à condição de Cidade-Estado, foi dividido em painéis que abordaram temas históricos, institucionais, econômico-financeiros, tributários, políticos e culturais.

A partir deste seminário, um grupo de participantes formado por Maria Silva Bastos Marques, Lúcia Hippolito, José Luiz Alquéres e o próprio Instituto Atlântico lançaram o Movimento Rio Cidade-Estado com a participação e apoio do Movimento BASTA!

Dentre as contribuições do Instituto Atlântico, destaca-se o estudo que sustenta a viabilidade fiscal da disfusão e da criação do Rio Cidade-Estado.

Objetivo

Provocar o debate, em círculos amplos de interessados, acerca da desfusão do Estado com o da Guanabara e incluir o tema nas deliberações do plebliscito que ocorreria possivelmente em 2005.

Fases

1

Foram constituídos 6 grupos de trabalho liderados pelos seguintes participantes:

Doutrina: Maria Silvia Bastos Marques

Funding: Paulo Rabello de Castro, Roberto Villaça e Roberto Luiz G. Carvalho

Cronograma Jurídico/Político: Francisco Müssnich.

Articulação Político-Institucional: Aspásia Camargo e Lúcia Hippolito.

Planejamento: José Luiz Alquéres.

Articulação da Comunicação: Walter de Mattos Jr.

2

Foi elaborado o documento "Um modelo para o novo Estado", que serviu de base para os debates com diversificadas instituições e setores da sociedade.

O Instituto Atlântico seguiu, nos anos posteriores, com estudos e propostas para a recuperação da cidade e melhora da qualidade de vida dos cariocas.